17/11/2015 - Construção e Reforma: Bancos ajustam crédito ao novo momento econômico

Existem três tipos de linhas de financiamento imobiliário: Sistema Financeiro da Habitação (SFH), Carteira Hipotecária (CH) e Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). A diferença entre as linhas está no tipo e valor de imóvel financiado, e também na origem dos recursos que os bancos aplicam no crédito imobiliário.

Conheça o Guia da Construção e Reforma 2015, da Fesuppo Editora

Os recursos do SFH, que se destina exclusivamente para imóveis residenciais, têm origem no Fundo de Garantia, na carteira de crédito do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e em programas habitacionais do governo federal. Já o SFI, que tem seus recursos provenientes do mercado financeiro, se aplica também aos imóveis comerciais, mistos e multifamiliares. O sistema CH é dirigido a imóveis comerciais e residenciais e utiliza recursos do mercado financeiro. Na sequência os financiamentos disponíveis nos principais bancos com atuação em Caxias do Sul. 


BANCO DO BRASIL – Para a aquisição de imóvel residencial ou comercial, novo ou usado, a instituição opera com o BB Crédito Imobiliário. Para residência podem ser usados recursos do Fundo de Garantia; no caso do comercial somente a carteira hipotecária. Em 2015, a instituição ampliou o prazo de financiamento para até 420 meses, e elevou, para até 80%, o percentual financiado. Outra alternativa do Banco do Brasil é o Crédito Imóvel Próprio. O bem residencial, urbano e quitado, é dado como garantia da operação e os recursos são aplicados da forma que o tomador do empréstimo desejar. Recente novidade do Banco do Brasil é a linha de financiamento imobiliário Pró-Cotista. Para contratar, é necessário possuir conta ativa do FGTS e mínimo de 36 contribuições, consecutivas ou não. No caso em que o cliente não possua conta ativa, é necessário que o saldo total no FGTS seja igual ou superior a 10% do valor do imóvel (ou do valor de compra e venda, o que for maior). A linha de crédito financia até 90% de imóveis avaliados em até R$ 400 mil, pelo prazo máximo de 360 meses. A taxa de juros é de 9% ao ano.


BANRISUL – Oferece crédito para aquisição e construção de imóvel residencial por meio do SFH e SH, e ampliação residencial via SH; aquisição e construção de imóvel comercial por meio do SH; reforma residencial, aquisição de terreno e compra de terreno e contratação da construção residencial na mesma operação.


BRADESCO – O banco trabalha com crédito pelo SFH, financiando até 80% do valor do imóvel, novo ou usado, de no máximo R$ 650 mil, com 30 anos para pagar. Acima deste valor, até R$ 4 milhões, a instituição oferece linha de crédito com taxas de mercado, sem possibilidade de uso do FGTS, e prazo de 30 anos para quitação. Por meio destas linhas também é possível financiar até 70% do custo total da obra, com 25 anos para pagar. O Bradesco também tem crédito para o financiamento de lotes urbanos. Para imóveis comerciais, o banco tem a linha chamada Carteira Comercial Imobiliária para bens avaliados em até R$ 5 milhões. É financiada parcela de 70%, com 10 anos para amortização, sem uso do FGTS.


CAIXA FEDERAL – Mesmo com as alterações no sistema de concessão de crédito, a Caixa Econômica Federal ainda é a principal instituição financeira na área habitacional. Financia a compra de imóvel novo e usado, construção em terreno próprio, aquisição de terreno e construção, conclusão, reforma e ampliação. Por meio da carta de crédito do SBPE financia aquisição de imóvel novo e usado residencial e comercial, construção em terreno próprio de imóveis residencial e comercial, aquisição de terreno e construção residencial e comercial e reforma e ampliação. A Caixa ainda tem a opção do ConstruCard para a compra de qualquer tipo de material de construção, além de armários embutidos, piscinas, elevadores, aquecedores solares, aerogeradores e equipamentos de energia fotovoltaica.


ITAÚ – Oferece financiamento com sistema de amortização constante ou misto. No primeiro o valor da prestação reduz desde o primeiro mês do contrato; no segundo, o valor é maior até a 36ª parcela, quando começa a ficar menor. O prazo de amortização é de 30 anos. Na compra de imóvel residencial, o consumidor pode utilizar o fundo de garantia. O Itaú ainda tem o Construshop, linha de crédito em forma de cartão para construção, reforma ou decoração da casa. O prazo de amortização é de 54 meses, com mais seis de carência. 


LOSANGO – A financeira opera com o crédito direto ao consumidor que garante o parcelamento da compra de um produto ou serviço em grandes redes de lojas no Brasil. São mais de 21 mil estabelecimentos em diversos segmentos, incluindo material de construção, eletrodomésticos e móveis. O parcelamento é de 36 meses. Já a opção do crédito direto ao consumidor premium facilita o parcelamento de bens e serviços de alto valor.


SANTANDER – O banco trabalha com duas modalidades de amortização do crédito imobiliário, que opera com recursos do Fundo de Garantia para imóvel residencial. Na modalidade parcelas atualizáveis, o valor mensal diminui ao longo do contrato. Na modalidade parcelas fixas, o valor é único, do início ao fim da operação. O financiamento é concedido a partir do valor de R$ 40 mil.


SICREDI – A cooperativa de crédito tem linha que apoia o associado na aquisição do imóvel residencial novo ou usado. O financiamento cobre 80% do valor total e o prazo de financiamento é de 30 anos. O cliente pode usar o Fundo de Garantia. Outra linha do Sicredi é para compra de materiais e pagamento da mão-de-obra para construção ou reforma do imóvel. O prazo de pagamento é de 60 meses. 


guia.png

Guia Virtual

Seu guia digital

imagem

Onde Encontrar?

Confira onde encontrar o guia

acesse
logo-fesuppo-rodape.png
logo-guiconstrucao.png
logo-guiacaxias.png
logo-guiagestao.png
logo-guiaautomotivo.png